Apresentação - NAI UFMT

Apresentação do NAI




Consta no PDI da UFMT (2019-2023) que a inclusão e a acessibilidade passaram a ser focos de atenção e de ações institucionais que visam o compromisso social e a oferta da educação superior democrática e universalizada. Ações direcionadas a estudantes e a servidores que apresentam deficiência podem ser verificadas pelo número de vagas destinadas a essa população, por meio de cotas de ações afirmativas, cotas em concursos, programas de acolhimento, acompanhamento e incentivo à permanência no ambiente institucional.

A UFMT, comprometida com a construção e consolidação de uma Universidade democrática, inclusiva e de qualidade, que reconhece e valoriza a diversidade, as diferenças sociais, culturais, físicas e emocionais, busca formas de compreender e atender às necessidades especificas de seus discentes e de seus servidores. Portanto reconhece que a educação e o trabalho constituem-se em direitos inerentes ao homem, que o processo de inclusão ocorre amparado em uma perspectiva coletiva, com a construção de políticas, propostas e ações institucionais que visam a acessibilidade, a permanência e a aprendizagem no ambiente universitário.

A partir de 2016, somando-se aos documentos que amparam os direitos das pessoas com deficiência a Lei Brasileira de Inclusão - Lei nº 13.146, reafirma, esclarece inúmeros aspectos e define termos. Em seu Artigo 2º ressalta que a pessoa com deficiência é “aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas”. Uma perspectiva conceitual onde a deficiência deixa de ser atributo dos sujeitos, mas decorrente da ausência de acessibilidade que o Estado e a sociedade oferecem. Ao reforçar a perspectiva interativa e os aspectos sociais, culturais, educacionais, a referida Lei indica que as ações inclusivas devem ser entendidas tendo como referência as definições apresentadas no Art. 3º que explicita a definição dos termos: acessibilidade, desenho universal, tecnologia assistiva, barreiras, comunicação, adaptações razoáveis, elementos de urbanização, mobiliário urbano, profissional de apoio escolar, dentre outros

Tal lei é imperativa quanto ao papel das Universidades brasileiras em assegurar aos estudantes com deficiência o atendimento educacional especializado nesse nível de ensino. Na UFMT sua aplicabilidade do ponto de vista da inserção no processo seletivo se efetivará em 2018.

A Universidade deve ser concebida como um espaço institucional que proporciona ambiente e ambiência de aprendizagem seguros, inclusivos, com infraestrutura, sistemas e equipamentos adequados, relações pedagógicas pautadas pelo respeito às diferenças, tornando-a verdadeiramente democrática. Na UFMT, a regulamentação que acompanha o movimento nacional em prol da Universidade democrática se expressa na Resolução CONSEPE Nº 131/2017, que trata da adequação do Programa de Ação Afirmativa na UFMT, à Lei nº 13.409/2016, instituindo o sistema de reserva de vagas, em cada concurso seletivo para ingresso nos cursos de graduação, por curso e turno, por autodeclarados pretos, pardos e indígenas e por pessoas com deficiência, nos termos da legislação (Art. 1º).

Para promover o diálogo entre os diversos setores e unidades da UFMT, em prol do desenvolvimento de ações que visem a inclusão e a acessibilidade, no ano de 2017 foi criado o NAI, no entanto, somente em 2021, a partir da RESOLUÇÃO CONSUNI-UFMT Nº 35, DE 19 DE MAIO DE 2021, o Núcleo foi reestruturado, transferido seu vínculo administrativo para a Vice-Reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso e aprovado seu regimento.

Então, o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão, é instância vinculada à Vice-Reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso e tem por finalidade promover a acessibilidade visando a inclusão de estudantes e servidores com deficiência, Transtorno do Espectro Autista, Transtornos Globais do Desenvolvimento e Altas Habilidades/Superdotação na realidade acadêmica/institucional em seus aspectos pedagógicos e laborais em conformidade com a legislação vigente e tem como objetivos:


Os objetivos gerais do NAI são:


a. Desenvolver ações interdisciplinares relacionadas à construção de modelos de educação tendo a inclusão como eixo articulador;

b. Exercer o papel permanente de centro de referência acadêmica para a discussão sobre inclusão e educação especial no Estado do Mato Grosso;

c. Promover a integração e participação efetiva com as unidades acadêmicas e administrativas envolvidas, assim como instituições parceiras;

d. Coordenar ações interunidades visando o desenvolvimento de tecnologias que otimizem a vivência acadêmica e/ou laboral de pessoas com deficiência;

e. Oferecer suporte e orientação aos câmpus da UFMT no que tange às questões de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência da comunidade acadêmica.


Os objetivos específicos do NAI são:


a. Propor, implementar e monitorar a política de acessibilidade e inclusão para as pessoas com deficiência no âmbito da UFMT, articulando os diferentes setores, como as pró-reitorias, secretarias e unidades acadêmicas, na tomada de decisão e organização de ações que viabilizem sua implementação, tendo em vista o ingresso de discentes na instituição de ensino e seu percurso acadêmico, assim como de servidores nas atividades acadêmicas e laborais;

b. Atuar para a redução e/ou na eliminação de barreiras estruturais, atitudinais, comportamentais, pedagógicas e de comunicação que impeçam ou dificultem a realização de atividades, sejam elas laborais ou acadêmicas, bem como as relações interpessoais e mobilidade dentro dos câmpus;

c. Propor programas de formação continuada a docentes, coordenadores e demais servidores com objetivo de favorecer o acesso ao currículo acadêmico, aprendizagem, metodologias, atividades laborais com respeito ao ritmo diferenciado das pessoas com deficiência.

d. Sugerir, fomentar e orientar a o desenvolvimento de ações de aquisição, ou construção de tecnologia assistiva e comunicação alternativa;

e. Articular e encaminhar junto às unidades administrativas o atendimento de demandas de eliminação de barreiras arquitetônicas;

f. Apoiar as pessoas com deficiência que ingressam na UFMT nas demandas relacionadas ao processo educativo inclusivo, bem como nas atividades laborais;

g. Acompanhar e auxiliar as unidades administrativas no processo de inclusão de servidores com deficiência;

h. Prestar assessoramento às Pró-reitorias, Unidades acadêmicas e Unidades administrativas da UFMT, como esfera consultiva no que se refere às necessidades específicas de acessibilidade e permanência em seus aspectos pedagógicos, atitudinais, de comunicação e outros aspectos estabelecidos na legislação brasileira

i. Fomentar e promover a discussão de práticas educacionais que se mostre aberto às transformações que caracterizam a proposta educacional inclusiva;

j. Propor grupos de estudos e pesquisas que atualizem e capacitem os servidores para, no exercício profissional, atuarem em prol dos pressupostos inclusivos no ambiente universitário;

k. Atuar, junto à Pró-reitoria de Ensino de Graduação, na proposição de perspectivas críticas da educação inclusiva que auxiliem na formação dos discentes de cursos de licenciatura e bacharelado da UFMT;

l. Realizar estudos comparativos, integrados, interdisciplinares e interdepartamentais nos diferentes cursos oferecidos na UFMT;

m. Fornecer apoio a pessoas com deficiências da comunidade acadêmica da UFMT, discentes ou servidores, por meio de laboratório com equipamentos de tecnologia assistiva e equipe profissional especializada;

 

Para garantir estas ações o NAI consta com a seguinte estrutura organizacional:


a)         Coordenação;

b)         Secretaria Administrativa;

c)         Seção de Intérpretes e Tradutores de LIBRAS;

d)         Seção da Equipe Multiprofissional.

 

Atualmente, possui como equipe, o coordenador, 1 servidor na secretaria administrativa, 5 monitores inclusivos e 17 tradutores intérpretes de Libras, totalizando 23 membros que estarão exercendo suas funções na sede do NAI.


 

Túlio Adriano Alves Gontijo

Coordenador do NAI

Logo da UFMT
Câmpus Cuiabá

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-8000

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Araguaia

Unidade I - Pontal do Araguaia
Avenida Universitária, nº 3500
Pontal do Araguaia - MT
CEP: 78698-000

(66) 3402-1108

Unidade II - Barra do Garças
Avenida Valdon Varjão, nº 6390
Barra do Garças - MT
CEP: 78605-091

(66) 3402-0736

Funcionamento Administrativo 08:00 às 11:30 e das 14:00 às 17:30 (horário local)

Câmpus Sinop

Avenida Alexandre Ferronato, nº 1200
Bairro Residencial Cidade Jardim - Sinop - MT
CEP: 78550-728

(66) 3533-3100

(66) 3533-3122

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Várzea Grande

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-6296

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30