PORLiz Brunetto
Bolsista, com supervisão da Gerência de Imprensa

DATA23 de Outubro de 2020

COMPARTILHE

Ciências

Pesquisa avalia impacto da pandemia na produção do pescado

Baixada Cuiabana pode contribuir respondendo ao questionário

Para além da crise sanitária que a COVID-19 causou, outras áreas foram bastante afetadas, como é o caso da economia, que sofreu um grande impacto em diversos segmentos. Para averiguar mais sobre o assunto, uma mestranda do Programa de Pós-graduação em Ciência Animal, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), está desenvolvendo uma pesquisa que avalia e tenta quantificar os impactos da pandemia na cadeia produtiva do pescado da Baixada Cuiabana.

Devido às mudanças de hábitos, tanto dos consumidores quanto dos empresários, em decorrência das medidas de distanciamento social, houve a mudança no consumo e na maneira de consumir. “Com isso, esse trabalho objetiva compreender o que a pandemia trouxe de alteração e dificuldades para as empresas ligadas a cadeia do pescado, e compreender quais são os desejos e preferências desse novo consumidor, que também precisou se adaptar as novas medidas que visam conter a COVID-19. Esses dados podem servir de suporte para continuidade da atividade na região”, afirma a estudante Clarissa Rocha Moraes, autora da pesquisa.

A hipótese é de que com a suspensão das atividades comerciais houve a alteração no consumo e, portanto na produção. “Acreditamos que no período do ápice da doença, houve dificuldade de escoar a produção tanto por parte dos produtores de insumo como dos piscicultores que tiveram que segurar seus estoques. Pelo lado do consumidor acreditamos que o fato de precisar ficar em isolamento, fez com que pessoas que antes realizavam suas refeições fora, em restaurantes, precisassem preparar suas refeições em casa ou passassem a consumir mais refeições delivery”, destaca a docente.

Clarissa explica que o trabalho é composto por cinco questionários específicos para cada elo da cadeia: fornecedores de ração para peixes, piscicultores, processadores de pescado, varejistas e o consumidor. “Essa informação pode fazer com que a cadeia atenda o consumidor local com eficiência, girando a economia na região e melhorando a questão de insegurança alimentar que a pandemia instaurou”, destaca a mestranda sobre a importância da colaboração da população ao contribuir com as respostas.

O questionário destinado a consumidores pode ser respondido por qualquer pessoa acima de 18 anos que resida em algum dos municípios da baixada cuiabana, local de concentração da pesquisa. Para responder é simples e rápido, acesse o formulário, que reúne perguntas de múltipla escolha sobre as preferências do consumidor local de peixes.

Para mais informações entre em contato por meio do e-mail clarissa.r.moraes@gmail.com.

A pesquisa é orientada pela professora Luciana Kimie Savay da Silva.


TAGS:

Fique sempre informado com as principais notícias da UFMT.

Logo da UFMT
Câmpus Cuiabá

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-8000

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Araguaia

Unidade I - Pontal do Araguaia
Avenida Universitária, nº 3500
Pontal do Araguaia - MT
CEP: 78698-000

(66) 3402-1108

Unidade II - Barra do Garças
Avenida Valdon Varjão, nº 6390
Barra do Garças - MT
CEP: 78607-059

(66) 3402-0701

Funcionamento Administrativo 08:00 às 11:30 e das 14:00 às 17:30 (horário local)

Câmpus Sinop

Avenida Alexandre Ferronato, nº 1200
Bairro Setor Industrial - Sinop - MT
CEP: 78557-267

(66) 3533-3100

(66) 3533-3122

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Várzea Grande

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-6296

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Contribua com o desenvolvimento do novo portal. Sua opinião é muito importante!