PORMichael Esquer
Estagiário, com supervisão da Gerência de Imprensa

DATA23 de Outubro de 2020

COMPARTILHE

Ciências

Estudo apresenta impactos de hidrelétricas no Alto Paraguai

Estudo é inédito no País

A Universidade Federal de Mato (UFMT) em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) realiza, entre 27 e 29 de outubro, o Workshop Live: Resultados dos Estudos sobre os Impactos das Hidrelétricas previstas para a Bacia do Alto Paraguai. O evento tem o objetivo de apresentar os resultados do projeto “Estudos de Avaliação dos Efeitos da Implantação de Empreendimentos Hidrelétricos na Região Hidrográfica do Paraguai e para Suporte a Elaboração do Plano de Recursos Hídricos”.

O estudo único e inédito no país, é financiado pela Agência Nacional de Águas (ANA) e executado pela Fundação Eliseu Alves, em parceria com várias instituições parceiras, entre elas a UFMT. Segundo a professora  do Instituto de Biociências (IB) da UFMT, Lucia Mateus, que participou do projeto estudando a ictiofauna da Bacia do Alto Paraguai, o trabalho ofereceu parâmetros importantes sobre a conservação ambiental da região, bastante visada por empreendimentos hidrelétricos.

“O trabalho foi realizado durante dois anos por uma equipe bastante grande e multidisciplinar com várias vertentes. Com base nos resultados desse projeto, e integrando todas as áreas, os técnicos da ANA elaboraram uma nota técnica que tem um zoneamento das regiões da bacia hidrográfica do Alto Paraguai, onde eles estabeleceram locais que são prioritários para conservação. Onde não poderiam ser instalados hidrelétricas e locais onde elas poderiam ser instaladas”, explica.

A docente destaca que a nota é importante para que o processo de concessão de empreendimentos hidrelétricos possam ser realizados com base em dados científicos e nos impactos comprovados que estes podem ocasionar ao ecossistema. “A ANA está preocupada com o uso múltiplo do recurso hídrico. Um dos usuários do recurso é a pesca, tanto a pesca amadora, quanto a pesca profissional e eles dependem dos peixes, assim como os peixes dependem da água”, esclarece.

Na programação do evento, a pesquisadora dividirá a mesa virtual “ Ictiofauna e Pesca” com pesquisadores de outros estados, onde falará sobre a área da sua pesquisa. Na mesa “Qualidade da água e hidrossedimentologia” estarão o, também pesquisador do projeto, professor Ibrahim Fantin, da Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia (FAET) da UFMT e a professora Márcia Divina de Oliveira da Embrapa Pantanal.

As inscrições para o Workshop, que conta com certificação, devem ser feitas a partir do formulário.

Confira a programação completa.


TAGS:

Fique sempre informado com as principais notícias da UFMT.

Logo da UFMT
Câmpus Cuiabá

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-8000

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Araguaia

Unidade I - Pontal do Araguaia
Avenida Universitária, nº 3500
Pontal do Araguaia - MT
CEP: 78698-000

(66) 3402-1108

Unidade II - Barra do Garças
Avenida Valdon Varjão, nº 6390
Barra do Garças - MT
CEP: 78607-059

(66) 3402-0701

Funcionamento Administrativo 08:00 às 11:30 e das 14:00 às 17:30 (horário local)

Câmpus Sinop

Avenida Alexandre Ferronato, nº 1200
Bairro Setor Industrial - Sinop - MT
CEP: 78557-267

(66) 3533-3100

(66) 3533-3122

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Câmpus Várzea Grande

Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367
Bairro Boa Esperança - Cuiabá - MT
CEP: 78060-900

(65) 3615-6296

Funcionamento Administrativo 7h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30

Contribua com o desenvolvimento do novo portal. Sua opinião é muito importante!